Arquivo para setembro, 2010

24 de setembro

Posted in Dela on setembro 24, 2010 by Maely

Tá frio aqui. E hoje cedo eu fiquei um tempão olhando a neve pela janela, sabe. E aquela rua toda pintada de branco parecia o mesmo vazio que ficou dentro de mim. Daí eu fiquei um tempão olhando pela janela, e perdi a conta de quantos cigarros eu fumei ali naquele tempão que eu só pensava no branco depois da janela. E daí depois não tinha nada, e eu fiquei com medo do depois, desse depois que não tem nada porque eu tenho medo de esquecer acho que você sabe. Porque eu tenho medo desses dias passando e meu Deus, Déco… Já faz tanto tempo e eu não tenho coragem de voltar pra casa e eu também não quero mais ficar aqui e ai, como você ia ficar tão bonito aqui nesse branco depois da janela, eu tenho medo de depois não conseguir sentir mais nada, porque tá fazendo um frio filha da puta aqui e sempre tem um vinho e depois do vinho a gente sempre esquece as coisas. E eu não quero esquecer, eu não quero deixar o tempo passar. Ás vezes chove um pouco depois da neve e a água deixa o branco assim meio barrento e eu fumo mais um cigarro e tiro o sapato e fico ali sentada na janela um tempão olhando a chuva e as pessoas correndo dela e daí eu só queria que o tempo voltasse e tudo fosse como era e eu estaria em casa e teria você roubando meu cigarro e minhas meias e dai a chuva seria mais bonita porque você ia começar a contar uma das suas mil coisas e sabe. Tá mesmo muito frio aqui.

Anúncios

11 de Setembro

Posted in Dele on setembro 11, 2010 by .

Se eu pensar demais estrago tudo. Mas é simples. Sem cair na tentação de dizer que te como com pão de queijo só se tiver coca-cola, eu confirmo que antes eu nem conseguia dizer a verdade como eu via. Era só pedir pra você me cuidar, porque era de cuidado que eu precisava naquele dia, naquele instante que eu pensei demais, eu precisava do seu cuidado.

O certo é que, se eu tô aqui firme e aguentando, é por sua causa, por causa da esperança de poder te ver um dia e sentir que tá tudo bem. Eu só não me joguei do viaduto porque eu sonho com você todo dia. Porque eu acordo e durmo pensando em você e nesse meio tempo penso também. Porque enquanto nada fizer sentido, é sim que eu prefiro que seja.

01 de Setembro

Posted in Dela on setembro 1, 2010 by Maely

Déco,

Mais um mês começa, dizem que esses inícios de ciclos são cheios de significados e boas vibrações. Talvez seja, e agora me parece um bom momento de dar um outro rumo ao que alguns chamam de fuga. E você sabe que se eu fosse um pouco menos covarde eu teria ficado, nem que fosse só pra ver no que ia dar.

Cansada de fazer e desfazer malas, agora as roupas ficam por lá mesmo… Se der vontade é só fechar e seguir em frente. Embora todos os lugares ainda pareçam iguais, sempre tem um vento trazendo um ar diferente e no fim das contas eu sei que mais dia menos dia é aí que eu vou parar. E depois de tanto tempo dá aquele frio na barriga, imaginar voltar aos nossos lugares, rever os amigos… Me diseram que o “nosso” apartamento ainda está vazio, deve ser triste passar por lá e só ver o vazio que deixamos. Apartamentos não deveriam ficar vazios.

Sabe, depois de tanto tempo eu não sei mais pegar o caminho de volta. Não saberia ser blasé o suficiente se tivesse a coragem de ligar e dizer oi-como-vai-tudo-bem-com-você-o-que-anda-fazendo e de novo cairia na minha velha armadilha de tratar mal pra não denunciar o amor. Que não acaba. Que ainda está aqui, quietinho, mas vivo. E eu ando ás vezes sem saber pra onde e quase sempre não sei pra onde voltar. Não me sinto em casa em lugar nenhum, sou sempre estrangeira a quem basta uma rede roubada pra poder trabalhar. E daí os dias são sempre meio iguais, cafés, pub’s, lanchonetes… boates, beijos, cigarros, vodka e ressaca.

Tudo porque em algum lugar do caminho eu me perdi de você. E não consigo mais me achar. Quem sabe qualquer dia desses eu esteja bêbada o suficiente pra te ligar e dizer qualquer asneira como:

“-Me come com pão de queijo?”